Os sindicatos de classe exercem papel importante na defesa profissional. São eles que defendem melhores condições de trabalho e salários, negociam e assinam acordos e convenções coletivas, representam política e juridicamente seus associados e defendem os interesses coletivos e individuais da categoria. Sua esfera de atuação é flexível e ampla, abrangendo os interesses políticos, econômicos e ideológicos. A filiação dos profissionais aos sindicatos não é obrigatória, sendo considerado sócio/filiado, somente aquele que opta em sê-lo pagando a Contribuição Social.

O Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Espírito Santo (Sinfes) foi fundado em 1956, com atuação mais destacada após sua reabertura (revalidação da Carta Sindical) em 1980. O Sinfes é uma entidade que representa e defende os farmacêuticos no nosso estado. Sua diretoria é eleita diretamente pelos farmacêuticos filiados e em dia, e tem mandato de três anos.

O Sindicato assessora os profissionais nas seguintes áreas de atuação: farmácia, drogaria, farmácia hospitalar, laboratório de análises clínicas, distribuidora de medicamentos e correlatos, indústria e outros estabelecimentos que tenham como responsável técnico o profissional farmacêutico. Por sua atuação firme, democrática e permanente o Sinfes é respeitado nos meios políticos, acadêmicos, trabalhistas, sindicais e profissionais em geral.

O que o Sinfes faz?

  • negocia Acordos, Convenções Coletivas de Trabalho dos farmacêuticos junto aos empregadores
  • homologa Rescisões de Contrato de Trabalho
  • auxilia o profissional na recolocação no mercado de trabalho
  • oferece atendimento jurídico na área trabalhista

Ação Política e Profissional:

  • participação em campanhas de esclarecimento à população, como a campanha pelo uso correto e racional do medicamento;
  • intercâmbio com outros sindicatos, associações, conselhos e demais entidades do setor para troca de experiências e ações conjuntas;
  • ação conjunta com a Fenafar e outros sindicatos na campanha pela aprovação do Projeto: 30 horas e do Substitutivo Ivan Valente;
  • palestras e eventos em faculdades para esclarecimentos aos estudantes dos cursos de Farmácia;
  • atuação em Brasília via Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) para acompanhamento de legislação, projetos de lei, medidas governamentais, etc;
  • participação ativa junto a Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários (CNTU);
  • participação em conferências, congressos e fóruns, como as Conferências Nacionais de Saúde, Conferência Nacional de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador e a Conferência Nacional de Assistência Farmacêutica; e a Conferência Nacional de Vigilância Sanitária;
  • participação em conselhos, grupos de trabalho e comissões na área de saúde, como os Conselhos Estadual e Municipais de diversas cidades;
  • participação, por meio da Fenafar, na Mesa Nacional de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde e da Mesa Municipal de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde do Município de Vitória;
  • participação, por meio da FENAFAR, no Fórum Permanente MERCOSUL para o Trabalho em Saúde, subsidiando o SGT 11.
  • participação na diretoria da Fenafar desde 1994, na Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) até dezembro de 2008 e atualmente filiada à Confederação Nacional dos Trabalhadores Universitários (CNTU).

Sindicatos com os quais o Sinfes mantém negociações para fins de campanhas salariais e questões trabalhistas:

  • Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Espírito Santo.
  • Sindicato dos Estabelecimentos e Serviços de Saúde do Sul do Estado do Espírito Santo.
  • Sindicato dos Estabelecimentos e Serviços de Saúde do Estado do Espírito Santo.
  • Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado do Espírito Santo.
  • Sindicato dos Transportadores no do Estado do Espírito Santo.
  • Sindicato da Importadoras e Exportadoras do Estado do Espírito Santo.

De onde vêm os recursos do SINFES?

  • Anuidade Social - taxa de sindicalização espontânea paga anualmente (filia/associa o profissional ao Sindicato)
  • Contribuição Sindical - é obrigatória, de valor correspondente a um dia de trabalho no mês de março e repassada ao Sinfes no mês de abril pelo empregador. Para os profissionais autônomo-liberais, o valor é estipulado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Universitários Regulamentados (CNTU). Desses valores é repassado ao Sinfes 60%, à Fenafar 15%, à CNTU 5%, à Central Sindical - Central dos Trabalhadores do Brasil 10% e Ministério do Trabalho e Emprego 10%.
  • Contribuição Assistencial - de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é devida por todos os farmacêuticos que são beneficiados num Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho. Esta contribuição é cobrada sempre após fechamento de Negociações Coletivas entre o SINFES e o Sindicato Patronal. Se o profissional é sócio ou proprietário de estabelecimento, ele está isento de pagar esta contribuição.
  •  

     

Notícias da Fenafar